Com um bom cardápio, é possível vender mais. Só que montar um cardápio bem feito não é tão simples quanto parece.

Deve escolher bem os pratos e precificá-los corretamente, sem contar o design que conta e muito!

Foi por isso que nós aqui do Zumer preparamos esse artigo completo para você aprender a montar o seu cardápio ou melhorá-lo, se você já tiver um.

Continuando a leitura você vai encontrar apenas 4 passos para criar um menu de qualidade, 5 modelos de cardápios para você se inspirar e também uma indicação nossa de um aplicativo gratuito para que você faça o design do seu cardápio.

Além disso também separamos um bônus!!

Então fique atento e siga a leitura.

Como montar seu próprio cardápio de restaurante

Assim como citei anteriormente, você pode montar seu cardápio de restaurante com apenas 4 passos.

Pensando em um cardápio que o cliente olhe e sinta aquela água na boca.

Vejo muito restaurantes que possuem cardápios confusos, sem nenhuma foto de nenhum prato e com muitas informações desnecessárias.

Vamos então aprender a fazer um cardápio simples que faça seu cliente comprar mais

1 – Os pratos

Primeiro de tudo, você deve escolher os pratos.

Para fazer isso você deve ter em mente sua persona (se você ainda não sabe o que é uma persona, clique aqui). 

Qual experiência você deseja proporcionar para o seu cliente? 

Qual região você está localizado? industrial? centro da cidade?

Dependendo da sua região você pode definir mais ou menos o que seus clientes vão querer. Uma comida mais rápida e barata ou algo mais trabalhado e caro…

Enfim, para definir isso você precisa ter uma persona, então clique no link que deixei logo à cima e faça logo a sua de forma simples. Se você não faz ideia do que é isso, é como se fosse seu público-alvo só que de forma mais detalhada.

Bom, além de saber sua persona, é importante que você dê uma boa olhada no cardápio dos concorrentes.

Depois de determinar os pratos, está na hora de precificá-los! Eu sei, essa parte assusta um pouco.

Mas não se preocupa, clique aqui e veja o artigo que fizemos sobre precificação. Mais simples impossível!

2 – Arranjo

Agora é hora de colocar tudo isso no papel!

Pense bem o arranjo dos pratos no seu cardápio. Divida por categorias e coloque sempre no primeiro lugar o prato que mais vende ( ou o que você pensa que venderá mais ).

Na hora de escrever, foque em valorizar o prato. Escolha bons nomes (Analisar a concorrência ajuda).

Lembrando que é importante revisar seu cardápio a cada 6 meses pelo menos, para manter o arranjo o mais eficiente possível, e claro retirar os pratos que vendem pouco ou que não vendem.

3 – Design

Lembre-se que seu cardápio é quase como um cartão de visita, e deve ser no minimo apresentável, para que passe profissionalismo para seu cliente, assim como ajude a melhorar a experiência dele ao usar o cardápio.

Apesar de bons designers serem caros, não se preocupe, caso você não tenha a opção de contratar um profissional, é possível usar aplicativos que te ajudam nisso.

O Canva é um aplicativo que te auxília nesse trabalho, ele pode ser usado tanto pelo computador quanto pelo celular, e além de ser muito fácil de usar, através dele você tem acesso a vários modelos prontos para usar.

Parte da função do cardápio também é destacar os itens mais vendidos e também se bem feito, induzir o cliente a comprar certo prato.

Lembre-se que por padrão, os itens mais vendidos ocupam a primeira e a última posição da página ou categoria por ser um local de maior destaque.

Bônus: Otimização de cardápio

Lembrando que você deve estar sempre otimizando seu cardápio para atender melhor o seu cliente.

E a forma mais usada para isso é a engenharia de cardápio, que é um  conceito que te ajuda a determinar quais itens você deve manter ou retirar do seu cardápio.

Para otimizar seu cardápio de forma eficiente, os pratos são divididos em quatro quadrantes de acordo com o volume de vendas e lucratividade.

Tipos de pratos do cardápio de um restaurante.
  1. Estrelas são pratos com grande volume de vendas e alta lucratividade.
  2. Burros de Carga contam com alto volume de vendas, mas pouca lucratividade. São os pratos que normalmente atraem o público para seu restaurante.
  3. Quebra-cabeças tem alta lucratividade, mas poucas vendas.
  4. Cães são o pior tipo de prato, com baixo lucro e poucas vendas.

A tabela acima te mostra atitudes que você deve tomar em relação aos pratos, de acordo com a classificação que eles tiveram para otimizar melhor seu cardápio.